fbpx Skip to main content
escovação traumática

Escovação traumática e a estética gengival

Você tem a sensação que certas escovas dão a impressão de não estarem limpando os dentes com eficiência? E com essa impressão, você compra escovas com cerdas mais duras na esperança de uma higiene bucal eficaz? E para terminarmos o interrogatório, ainda escova com muita força para remover toda a “sujeira’ presente nos dentes?

Se você respondeu sim para as perguntas acima, saiba que você pode desenvolver uma escovação traumática e este ato pode influenciar diretamente na estética de sua gengiva.

Retração gengival causada por força de escovação

O tecido gengival, além de contribuir para a estética do sorriso, tem a função de proteger o periodonto de sustentação, que é formado pelo ligamento periodontal (fibras), osso alveolar (osso que envolve o dente) e cemento (estrutura que recobre a raiz do dente), dos traumas da mastigação e proteger as estruturas citadas de invasões bacterianas.

periodonto

Para que a recessão gengival ocorra, é necessário reabsorção do osso alveolar e destruição do ligamento periodontal, causando migração do tecido gengival mole e expondo a raiz do dente.

A forma como escovamos os dentes e a força que aplicamos na escova são decisivos para que a recessão gengival se desenvolva. Como geralmente as superfícies dentárias estão livres de placa bacteriana, alguns estudos sugerem que a abrasão e o desgaste pela fricção da escova sobre o tecido gengival seriam os causadores das retrações. Essa escovação vigorosa causaria uma inflamação na gengiva, o que poderia levar a uma recessão do tecido.

Técnicas de escovação para evitar retração gengival

O método de Fones é um dos indicados para evitar retração gengival. Consiste em movimentos circulares na gengiva para remoção de placa bacteriana.

Outro método eficiente para escovação é a técnica de Stilmann modificada. Esse modo de escovação prega uma posição de 45 graus da escova na direção da gengiva, fazendo um movimento de “varrer” sobre os dentes.

Para quem já possui retração gengival, a técnica de Bass é a mais indicada. Ela é parecida com a técnica de Stilmann. A diferença está na posição das cerdas, que devem ser inseridas suavemente na gengiva para remoção da placa bacteriana.

Já para os pacientes que utilizam aparelhos ortodônticos, o método de Charters, que diz para inclinar a escova 45 graus em relação aos dentes, direcionando o movimento sobre os bráquetes do aparelho.

Devemos lembrar que a utilização de escovas dentais com cerdas macias minimizam o risco de traumas na gengiva.

Veja no vídeo da Dentalpad as técnicas mencionadas acima e a que deve ser evitada para não causar retração gengival.

Tratamentos

Existem duas formas de tratamento para recessão gengival.

  • O tratamento cirúrgico, através de técnicas de deslocamento gengival associado à enxerto de tecido conjuntivo do próprio paciente é uma ótima opção desde que bem indicado.
  • A outra forma de tratamento é recobrir as exposições radiculares com resina composta (material restaurador) ou com prótese fixa.

A retração gengival pode comprometer a estética do sorriso, pois dá a sensação que o dente parece maior, além de causar o aparecimento de espaços negros entre eles. Esses fatores podem comprometer reabilitações orais com trabalhos protéticos como lentes de contato, facetas e coroas de porcelana.

retração gengival
Retrações gengivais.
espaços negros
Espaços negros.

 

A sensibilidade dentária é outro ponto negativo da retração gengival pela exposição da raiz do dente. Mas este será assunto para um próximo post.

Ficou com dúvidas? Deixe nos comentários.

Até a próxima semana.

Um grande abraço a todos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *