fbpx Skip to main content
disfunção temporomandibular

Qual a relação entre estresse e DTM?

A crise da Covid-19 atingiu a todos de forma surpreendente. Ninguém estava preparado para lidar com uma pandemia e seus desdobramentos.

O medo da contaminação aliado aos problemas na economia como contratos suspensos, demissões, negócios fechando, falta de dinheiro estão deixando as pessoas extremamente preocupadas com o futuro próximo. O nível de ansiedade e estresse é enorme

Viver nesse grau de tensão desencadeia diversas alterações em nosso organismo. Perda de cabelo, gastrite, perda de apetite, problemas dermatológicos são sinais e sintomas comuns.

Na Odontologia, o que verificamos com mais frequência são as DTMs (Disfunções Temporomandibulares).

Então vamos entender o que são DTMs e como o estresse pode contribuir para deflagrar sinais e sintomas.

O que são Disfunções Temporomandibulares?

A articulação temporomandibular é uma estrutura que liga a mandíbula (osso do queixo) com o crânio. Essa articulação é formada por diversas estruturas como tecidos ósseos, disco articular, músculos, ligamentos, cápsula articular e apresenta um denso suprimento sanguíneo e nervoso. Ela é responsável pelo movimento da mandíbula para frente, para os lados e para trás, ou seja, todos os movimentos que você faz com a boca.

articulação temporomandibular
Articulação Temporomandibular (ATM)

Quando algum problema impede o funcionamento adequado da articulação temporomandibular (ATM) teremos uma disfunção temporomandibular (a sigla é DTM).

As principais causas das disfunções são danos na articulação causados por impacto ou idade, bruxismo (ranger de dentes), apertamento dentário, roer unhas e mascar chicletes, dentes mal posicionados, perdas dentárias, próteses mal adaptadas, estresse, depressão, ansiedade e má postura corporal. Todos esses fatores podem causar tensão muscular e problemas na ATM (articulação temporomandibular).

Veja a lista abaixo

Sinais e sintomas da DTM:

  • Ruídos ou dor ao abrir ou fechar a boca.
  • A mandíbula fica travada ou sai do lugar.
  • Dor nos músculos de mastigação.
  • Dificuldade ao mastigar ou morder.
  • Edema no rosto (inchaço)
  • Mudança na oclusão dentária da pessoa (a forma como os dentes superiores e inferiores se encaixam).
  • Dores de cabeça (muitas vezes se assemelhando com enxaquecas), dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos.
  • Dor ao bocejar.
  • Dores nos músculos do pescoço (causadas por má postura corporal).

E como o estresse pode contribuir para a Disfunção Temporomandibular?

O estresse emocional pode gerar hiperatividade muscular, caracterizando o chamado bruxismo ou apertamento dental.

Quem faz bruxismo e apertamento dental ativa a musculatura durante vários períodos durante o dia e a noite. Fazendo uma analogia, é como se você malhasse os braços diversas vezes durante 24 horas.

O que aconteceria com seus braços caso isso acontecesse? Exatamente o que você pensou: dor muscular.

Com o bruxismo acontece exatamente o mesmo. A atividade muscular é muito maior que o normal, gerando dor nos músculos da face. Dores no músculo temporal (músculo que fica acima dos olhos e estende-se para a lateral em direção da orelha) são responsáveis por dores de cabeça, principalmente ao acordar.

Estudos mostram que os portadores de disfunção dolorosa da ATM apresentam ansiedade e manifestam sintomas de estresse mais intensos e frequentes do que os não portadores, o que permite concluir que o estresse atua como fator etiológico para que os sintomas apareçam. Os fatores psicológicos são mais evidentes quando a dor é de origem muscular.

disfunção temporomandibular

Existe tratamento para as Disfunções Temporomandibulares?

Alguns sinais e sintomas das DTMs podem diminuir ou até desaparecer com uso de placas miorrelaxantes, aplicação de proteína botulínica, medicamentos como relaxantes musculares ou cirurgia.

Algumas pesquisas associam o ato de ranger e apertar os dente (bruxismo excêntrico e cêntrico) com o Sistema Nervoso Central. O estresse e a ansiedade seriam fatores importantes para desencadear a parafunção (bruxismo).  Assim, não tratamos o bruxismo em si, mas suas consequências como desgastes dentários e dor muscular.

O tratamento mais utilizado para controle da dor muscular são as placas miorrelaxantes. Essas placas já podem ser confeccionadas através de modelos digitais, permitindo um encaixe perfeito, menos ajustes e melhores resultados.

Placa miorrelaxante 3D confeccionada em modelos virtuais. O planejamento é feito no computador e uma impressora 3D produz a placa.

Devemos lembrar que o tratamento das DTMs deve ser multidisciplinar, envolvendo, além do cirurgião-dentista, profissionais como fonoaudiólogos, psicólogos, otorrinolaringologistas e fisioterapeutas, sendo fundamental avaliar cada paciente individualmente, a fim de um correto diagnóstico e uma melhor abordagem terapêutica.

Para finalizar, observe se você tem dores faciais (dores de cabeça frequentes, dores na bochecha ou pescoço) ou na articulação temporomandibular (ruídos ao abrir e fechar a boca). Se isso acontecer, procure seu dentista.

E quanto a esse momento ruim, vai passar. Todos estamos torcendo para que tudo volte ao normal o quanto antes. Cuide-se.

Um grande abraço a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *